Hawayo Takata Mestre de Reiki

Hawayo Takata
A história de Hawayo Hiromi Takata começou no alvorecer da manhã do Natal de 1900, quando nasceu em Hanamaulu na ilha de Kauai, no Havaí. Sua mãe pediu então à parteira que banhasse a recém-nascida, e a envolvesse em um lençol branco e voltasse o seu rosto para o sol que estava justamente nascendo por trás de uma montanha, enquanto batizasse a criança com o nome de "Hawayo” em homenagem ao recém formado território do Havaí.
Seu pai trabalhava nos campos de cana de açúcar de onde tirava o sustento para sua família. Hawayo ia à escola pública sempre com muita alegria e prazer para aprender. Quando completou 12 anos se juntou às outras crianças que trabalhavam na lavoura durante o verão. Trabalhava diligentemente o que se tornava cada vez mais difícil, dada a sua saúde delicada.
Casou-se com Saichi Takata, o contador da propriedade em que trabalhava. Foi um casamento feliz coroado com o nascimento de suas filhas.
Em uma manhã de outubro de 1930 Saichi fez a sua transição, repentinamente aos 34 anos de idade. A partir desta data, a vida de Hawayo ficou mais difícil. Ela trabalhou ainda mais para garantir o sustento da família, o que resultou em uma estafa, além de outros problemas físicos - com fortes dores abdominais que exigiam uma cirurgia urgente, além de graves problemas respiratórios que impediam o uso de anestesia. Não contava nem 35 anos, mas sentia ter mais de 60. Estava desesperada.
Poucos dias depois, faleceu sua irmã mais nova, o que a levou ao Japão, com o intuito de pessoalmente dar a notícia aos seus pais, em Yamagushi. Aproveitou para levar as cinzas de Saichi que deveriam ser colocadas no templo budista Ohtani em Tókio.
Em 1935 chegou ao hospital em Akasaka, onde em primeiro lugar fez uma dieta para lhe propiciar melhores condições para enfrentar a cirurgia. Foi confirmado um tumor no abdômen, cálculo renal e apendicite. Perguntando por outra alternativa, além da cirurgia, foi-lhe oferecido um tratamento Reiki na clínica de Chujiro Hayashi.
Em conseqüência das aplicações Reiki recebidas nesta clínica, a Sra. Takata foi curada e seu desejo de aprender o Reiki cresceu.
Pediu para ser admitida no curso básico, o que lhe foi negado. Ela se deu conta de que tinha que assumir um profundo compromisso com Reiki. Foi ver Hayashi e lhe falou o que sentia, se comprometendo a ficar no Japão o tempo que fosse necessário. Ele aceitou e assim foi iniciada.
A Sra. Takata e suas duas filhas foram hospedadas durante um ano na casa de Hayashi, para aprender e praticar Reiki diariamente com ele em suas visitas aos doentes. Recebeu sua iniciação no segundo grau de praticante Reiki. Quando ambos sentiram que o treinamento estava concluído, em 1937 a Sra. Takata retornou a Kauai no Havaí com o dom da cura. Semanas mais tarde o Dr. Hayashi acompanhado de sua filha veio por 6 meses ao Havaí para ajudar Hawayo a estabelecer o Reiki nesta região.
Em fevereiro de 1938, Hayashi antes de se despedir do povo havaiano para retornar ao Japão, anunciou ser Hawayo Takata Mestre no Sistema Usui de Reiki, estando qualificada a praticar e ensinar o sistema.
Em 1940 teve um sonho em que Chujiro Hayashi lhe aparecia trajando um tradicional quimono de seda branco. Poucas semanas depois se viu impelida a visitá-lo. Chujiro Hayashi se mostrou apreensivo pois estava muito determinado a salvaguardar a essência do Reiki, de acordo com a sua promessa feita a Mikao Usui.
Em 9 de maio de 1940 Chujiro Hayashi convidou seus familiares e amigos mais chegados para a sua transição que se daria entre 13:00 e 13:20hs daquele dia. Ele explicou a todos o motivo de ter escolhido tal data, a aproximação da guerra e o seu dever como ser humano em preservar e não destruir vidas. Agradeceu a todos e se despediu da vida conscientemente e sem nenhuma dor. Após a transição de Chujiro Hayashi, Hawayo Takata seguindo as orientações recebidas, retornou ao Havaí e graças ao seu compromisso de vida, o Reiki se difundiu em todo o ocidente.
Takata não somente ensinava o Reiki: ela o vivia. A sua vida não era fácil, repleta de obstáculos e responsabilidades que transformava sempre em oportunidades de crescimento espiritual, tornando seu caráter cada vez mais forte. Sabia sempre o que almejava encontrando os caminhos para a realização de seus propósitos. De personalidade viva pontuada sempre por grande simplicidade e a curiosidade sadia de uma criança, questionando, explorando novas idéias, sempre aprendendo. Ela combinava esta simplicidade com uma intuição poderosa.
A vida de Hawayo era uma excepcional demonstração de dedicação às Máximas do Reiki. Suas mãos eram pequenas, mas quanto poder continham... Ela era um canal muito claro para a transmissão da energia curadora, carregada por 45 anos de experiência diária.

Nos seus últimos 10 anos de vida iniciou 22 mestres, vindo a falecer em dezembro de 1980, pouco antes de seu aniversário.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.