OUTUBRO! A Anciã do 10º Ciclo Lunar!


“Aquela que tece a teia da vida” representa a força criativa de todas as coisas. Seu ciclo lunar se dá no mês de Outubro e ela esta conectada a cor rosa. Trabalhando com a verdade é o seu Ciclo da Verdade. Ela nos ensina a como usar nossas habilidades manuais para criar beleza e verdade de forma tangível. Rosa é a cor da criatividade. “Aquela que tece a teia da vida” nos mostra a como usar os diversos materiais para criar nossas ideias e sonhos no mundo real. Criando com nossas mãos, nós mostramos nossa disposição em estar a serviço de Todas as Nossas Relações.
 
“Aquela que tece a teia da vida” é a guardiã das Forças Criativas em todas as coisas. Ela nos ajuda a expressar nossa criatividade de uma maneira positiva e a usar a energia que temos disponível. Essa anciã é também a guardiã da Força Vital e nos orienta a como nos manter saudáveis, a como manifestar nossos sonhos, a desenvolver e a usar nossos talentos e a como acessar nosso potencial espiritual.
 
A anciã do décimo ciclo lunar é a mãe das forças de criação e de destruição, ela nos mostra a como destruir nossas limitações e a criar novas realidades de maneira diferente. Ela também nos ensina sobre quando devemos nutrir nossas criações, pois é a guardiã do instinto de sobrevivência. Quando nosso corpo físico, emocional, metal ou espiritual esta sob risco, “Aquela que tece a teia da vida” nos mostra como usar nossa força vital para superar a estagnação. Ela é uma artista, uma criadora e uma musa que indica o caminho e inspira a criar a beleza que encontramos em nossos corações. Tornando o que desejamos tangíveis e permeando-os com beleza, podemos ver que nossos sonhos podem ser expressos, dando forma a nossas visões. Ela é a anciã a quem recorremos quando temos medo de falhar ou de não nos expressar bem.
 
Quando seguimos os passos necessários para trazer nossos sonhos a vida, “Aquela que tece a teia da vida” nos mostra a como usar a força vital que encontramos nos quatro elementos, ar, terra, água e fogo. Aprendemos como misturar esses elementos com nossa essência criativa e esse é um presente que recebemos do Grande Mistério. Esse estalo criativo é chamado de Chama Eterna do Amor e vive em nossa Essência Espiritual. Quando o desejo de criar se torna real, nós somos então capazes de tomar a decisão de SER. Nós então damos forma a nossa Essência Espiritual através da auto expressão.
 
“Aquela que tece a teia da vida”, assim como a Avó Aranha que tece a teia do universo, nos ensina a como tecer a teia das nossas próprias experiências. Ela nos mostra como cada círculo que criamos cresce quando toca os círculos criado por todas as outras formas de vida. As teias que criamos podem ser armadilhas, caso não sejam criadas com verdade. Esta anciã nos pede que trabalhemos com e para a verdade de maneira a manifestar um mundo sonhado por todas as formas de vida. Uma teia tecida com cobiça será uma armadilha e acabara consumindo aquele que a construiu, pois suas ligações são muito estreitas e não permitem dar, receber e dividir. Se a teia é tecida de maneira muito solta, sem cuidados e sem muita habilidade, não será forte nem durável. Uma teia tecida com medo ira atrair as lições necessárias para superar esse medo. Uma teia tecida com amor e com o desejo de dividir a abundancia que a teia capta é uma teia que ira resistir até que todos os sonhos se concretizem.
 
“Aquela que tece a teia da vida” é a anciã a quem recorremos quando precisamos de habilidades para tornar nossos sonhos reais. Ela nos mostra como tomar as ações necessárias para agarrar a criatividade e seguir o fluxo da vida. Dar a luz a nossos sonhos é algo que só é possível tendo o desejo de criar, decidindo criar, e tomando as ações necessárias usando o impulso da força vital para tornar nossos sonhos reais no mundo tangível.
 
Tradução livre: Giuliana Aggiunti.
Extraído do livro “The 13 Original Clan Mothers – Jamie Sams”.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.