Sananga é o sumo extraído das raízes de uma planta amozônica, cujo nome indígena é "Mana Heîns", nome oriundo do dialeto Huni Kuin, falado
pelos Kaxinawás. é um arbusto das regiões amazônicas, utilizado pelos índios nativos Kaxinawás e outras tribos.

Do interior de sua raiz, é estraído um sumo em decocção, o qual é utilizado para a cura das panemas, doenças espirituais segundo os índios.

Seu princípio ativo é a Ibogaína, uma poderosa substancia de poder que se ingerida leva os índio à um estado de transe profundo para o contato com o mundo dos espíritos.

Porém, na medicina tradicional do Sananga, ele é utilizado como colírio.

Os índios guerreiros, antes de irem para a caça, administram uma gota em cada olho, fazendo com que sua percepção fique aguçada e perceba movientos sutis na densa floresta.

O que ocorre é que o Sananga trabalha com duas vertentes energéticas de cura: a Física e a Espiritual.

Acredita-se que o "Espirito do Sananga", ou seja, a energia e inteligência, análoga ao princípio ativo do sumo desta poderosa erva, atua diretamente na causa original da doença, nos processos chamados psico-somáticos.

As doenaças psico-somáticas são de origem psíquicas, mas ao se potencializarem se manifestam no SOMA, ou melhor dizendo, no corpo físico.


Os olhos são as janelas da Alma, onde tudo o que vemos, e projetamos está lá guardado, inclusive nossa história kármica.

Então o Espírito do Sananga faz uma verificação dos padrões energéticos em desequilíbrio, e vai diluindo essas forças que se constituem nas panemas.

O resultado após a aplicação é um equilírbio da alma em sintonia com essa força da natureza, uma expanção da força visual espiritual, ou do AJNA CHAKRA, a terceira visão, a visão interior, e também uma melhora na fisiologia ocular.

O Sananga é indicado em casos de doença como: Glaucoma, catarata, miopia, astigmatismo, hipermetropia, distrofias, alterações das cores, entre outras.

Há casos de pessoas que foram curadas de miopia com uma aplicação, e houve melhora na percepção das cores imediatamente.

O Sananga tem sido explorado de forma controversa pelos Europeus, que vem na terra amazônica e levam o produto como remédio para fora, porém a forma correta de se utilizar é dentro de um trabalho voltado para a evolução espiritual, pois ele, usado de forma errada, se constitui numgrande causador de problemas na vida da pessoa.

A forma de aplicação é a seguinte: de uma à 3 gotas em cada olho.

A pessoa sentirá uma forte vibração, onde poderá ocorrer diversos graus de ardência dependendo de como estiver a situação espiritual da pessoa. Com o tempo, a pessoa vai se alinhando ao espírtio do sananga e sentirá menos o ardor, quando sua visão já terá tido um ganho imenso.

Após o ardor que dura uns 3 minutos, as cores se tornam mais nítidas há uma melhora significante nos padrões da visão.

Alguns tratamentos são milagrosos, imediatos, e outros a longo prazo, mas não menos milagrosos que o primeiro.

É uma experiência diferente, única, de tranformação espiritual e de visão, num sentido mais aplo da palavra.

A Sananga não corrige fisicamente os problemas do olho, mas repara energeticamente tais enfermidades, pois compreendemos que toda doença é psicossomática, nascendo primeiro nos sentimentos do indivíduo e após influenciar a camada energética do órgão em questão, se manifesta densamente no corpo material. Assim sendo, quando aplicado, a Sananga dilui as formas pensamento e energias negativas e desarmônicas que envolve o corpo energético do olho e cura energeticamente doenças do olho como: miopia, hipermetropia, astigmatismo, ambliopia, afacia, olho seco, fotofobia e previne contra catarata, glaucoma, presbiopia e ceratocone. Além de abrir os canais energéticos do ser humano para a Visão Interior, Exterior e Superior. Da região da cabeça desce uma energia sutil e favorável para manter os chakras abertos, expande a aura e mantêm a pessoa centrada e equilibrada emocionalmente, mentalmente e espiritualmente.

Para os xamãs ancestrais, a panema é um aglomerado de energias desqualificadas que ficam presentes no corpo energético da pessoa, acumulada através de uma vida sedentária, negativa e regada com hábitos e pensamentos prejudiciais para a saúde física, emocional, mental e espiritual, que pesam o corpo energético do indíviduo, deixando-o apático, desanimado, triste, depressivo, estressado e fisicamente pesado, impossibilitando o sucesso da pessoa em seus relacionamentos, trabalho e objetivos da vida como um todo. Através da Sananga essa carga de energia negativa é automaticamente eliminada, é como se a pessoa passasse por um tratamento de choque energético, de maneira sutil, sentindo-se leve, animado, capaz e revigorado após a aplicação.

É recomendado para todas as pessoas, sexo e idade. Quanto mais cedo a pessoa receber a Sananga, menos problemas do tipo ocular e de visão terá.

Texto de Alquimia das Arvores.







Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.