Mantras

 


“Os mantras nem sempre possuem um significado claro e muitos deles são compostos por sílabas aparentemente ininteligíveis. Mesmo assim, eles são efetivos porque ajudam a manter a mente quieta e pacífica, integrando-a automaticamente na concentração. Eles fazem a mente ser receptiva às vibrações muito sutis e, portanto, aumentam sua percepção. Sua recitação erradica as negatividades grosseiras e a verdadeira natureza das coisas pode ser refletida na claridade resultante em sua mente.”   Lama Zopa Rinpoche

 

“Um mantra não é nem uma “palavra mágica” nem um “encantamento”. é um instrumento da representação e concentração mentais e por isso um recurso do poder mental (mas não de forças sobrenaturais). A raiz “man” significa “pensar”, enquanto o sufixo “tra” exprime um instrumento, um recurso de acionamento. O efeito do mantra não depende, por conseguinte, de sua entonação — este é outro mal-entendido amplamente divulgado —, mas sim da atitude mental, das associações conscientes e inconscientes que são criadas através da intuição e dos exercícios a ela ligados.”  Lama Anagarika Govinda

 

Os mantras do budismo tibetanos podem ser entoados tanto em sânscrito como em tibetano. Abaixo alguns dos mais conhecidos mantras do budismo tibetano, com áudio. Abaixo a explicação por um dos mais renomados mestres da história do Tibete, sobre o mais conhecido mantra, o mantra da compaixão. Cada mantra está associado a uma qualidade ou a um mestre. Os mantras são repetidos com a ajuda de um mala, um tipo de rosário tibetano, com 108 contas.

 

 

Om Mani Padme Hum  (sânscrito) – (Chenrezig) (Avaloktesvara) – Buda da Compaixão

Om Mani Pemé Hung (tibetano)

 

“O mantra Om Mani Padme Hum é fácil de dizer mas muito poderoso, pois contém a essência de todo o ensinamento. Quando você diz a primeira sílaba Om é abençoada para ajudá-lo a alcançar perfeição na prática da generosidade, Ma ajuda a perfeita prática da ética pura, e Ni ajuda a alcançar perfeição na prática da tolerância e paciência. Pad, a quarta sílaba, ajuda a alcançar a perfeição da perseverança, Me ajuda a alcançar perfeição na prática da concentração, e a sexta sílaba final Hum ajuda a alcançar perfeição na prática da sabedoria.

Assim, deste modo recitação do mantra ajuda a alcançar a perfeição nas seis práticas de generosidade para com sabedoria. O caminho destes seis perfeições é o caminho trilhado por todos os Budas dos três tempos. O que poderia, então, ser mais significativo do que para dizer o mantra e realizar as seis perfeições?”   Dilgo Khyentse Rinpoche

 

Om Mani Padme Hum 1 (orquestrado pelo músico brasileiro Marcus Viana)

Comentários

Postagens mais visitadas