Quando tocar um corpo!

 Uma dica... quando tocar um corpo... toque devagar... como se fosse um rezo... onde a mão mal toca... 



Sem pressa! Ninguém vai sair pelado correndo se você se demorar mas carícias, nos beijos, nos olhares ou nos abraços.


Dizem! Já ouvi... que essa ânsia de ir direto ao ponto ( vulgo mais claramente: pênis e vagina) é ânsia de morte e não de vida.


Pressa de tampar um vazio, pressa de distrair e afugentar a dor da existência, da desconexão.


Mas tá aí... o grande mistério do sexo... e na calma, no olhar que fica nu, no toque sútil que o coração aprende respirar o Sagrado.


Na intimidade de olhar olho no olho... quando a respiração acelera... a cada expiração e inspiração o prana divino nos faz ficar mais expostos, mais nus... nu de alma, não é corpo. 


Eu te vejo! Vejo cada parte de teu corpo com amor, com amizade, com respeito e tesão também... tesão consciente... alerta... presente nos cheiros, nos gostos, na textura.


Pra se chegar ao órgão genital... abre-se primeiro o chakra cardíaco... com carícias, com olhares atrevidos, com beijos doces e sem abuso... apenas um delicado lábio nas costas, na nuca... 


Com o coração acordado!

A mente presente!

O olhar atento!

A respiração conectada!


Uma ponte no invisível se abre entre esses dois corações que se unem... isso não é sobre como você se compromete com o outro... e como você se conecta com Deus/Deusa através da sua maior criação: NÓS.


Não é também sobre orgasmos, sim... está incluído e faz parte! Mas é sobre encontrar uma jornada de se sentir UNO com outro ser humano e construírem juntos uma escada direto pra fonte.


Aquela que nutre! Que preenche! Que nos eleva e nos faz expandidos. Uma expansão que se aprendida... dura pra sempre.


Isso nunca foi sobre sexo...

É sobre algo além... que muitos chamam de tantra...  eu gosto de chamar de AMOR.


Não é o nosso amor... mais o amor que é professor... que é Mestre curador... que nos faz aprendiz quando nos colocamos diante o outro de forma humilde, pacífica, fraterna, consciente, aprendiz...


São dois universos ali... eles iram se misturar por algum tempo... trarão com eles memórias, dores, traumas, suas histórias. Mas também sua gota de orvalho... a divindade ao qual são guardiões.


Se você corre pra terminar esse encontro... e como se fosse um encontrão meio atrapalhado. Tudo fica meio assim... bagunçado.


Então... RESPIRA!


De preferência respira junto...


Se conecta no olhar... abaixa a guarda e fica nu de alma e coração... aí sim... vc sentirá um prazer inigualável.


Enfim... essa é minha síntese sobre tantra na sua essência 😉🙏


Por todas as nossas relações


Via Ná Carvalho! Gratidão

Comentários

Postagens mais visitadas